Atuação Fonoaudiológica em Saúde Pública: uma Abordagem Preventiva

Publicado em
05/04/2001 por

1- Considerações iniciais
A atuação fonoaudiológica na Saúde Pública refere-se a inserção da Fonoaudiologia na população em postos, em centros, em unidades de saúde, em creches, em escolas, em berçários, bem como na coletividade.
A proposta de trabalho abrange não só o atendimento das alterações da saúde de maior ocorrência na população, mas atua também principalmente na promoção e na prevenção.
O fonoaudiólogo tem com objetivos elaborar ações de programas de orientação quanto ao desenvolvimento da linguagem e audição, sendo importante a maturação adequada das funções neurovegetativas na produção dos sons da fala, no uso adequado da voz e na manutenção auditiva intervindo na prevenção, na terapia e na reabilitação das possíveis patologias ligadas à Fonoaudiologia.

2- O trabalho do Fonoaudiólogo na comunidade
Para que o Fonoaudiólogo possa atuar nas unidades básicas de saúde, torna-se necessário definir o papel do mesmo, assim como o trabalho a ser desenvolvido por ele que abrange certamente a prevenção primária, secundária e terciária em três níveis de atenção diferentes, também primária, secundária e terciária.
Na prevenção primária o fonoaudiólogo deverá atuar na educação e conscientização da população sobre os cuidados básicos para a manutenção da saúde auditiva, da linguagem e identificar e acompanhar as patologias de maior ocorrência na população, tendo como objetivo diminuir as possibilidades de evolução ou agravamento, prevenindo contra a necessidade de atendimento aos níveis secundários e terciários. 
Já na prevenção secundária, seria focalizar a patologia de maior prevalência, atender a população para identificar mais cedo possível as ocorrências patológicas, estabelecer uma relação profissional multidisciplinar e promover condições para que portadores de alterações auditivas possam desenvolver as suas atividades sociais. 
E na prevenção terciária, trabalha-se com a reabilitação das alterações já instaladas de um grupo na população.

3- Considerações finais
Esses atendimentos devem ser efetuados através de programas específicos desenvolvidos junto à instituições religiosas, educacionais, sociais e à órgãos não governamentais (OGNS) para que se tenha um melhor resultado na prevenção, na terapia, na reabilitação e na eliminação de fatores que interferem na aquisição e desenvolvimento dos padrões da fala, linguagem e audição atendendo assim toda à demanda populacional necessitada.


BIBLIOGRAFIA
VIEIRA, Raymundo Manno. Fonoaudiologia e Saúde Pública. São Paulo: 
Pró- Fono Departamento Editorial, 1995.